Dicas

Cuidados com a saúde do seu gato [+]

Além de uma higiene adequada e uma boa alimentação com ração (seca ou em latas), para manter seu gato o mais saudável possível é preciso tomar outros cuidados. Por isso, leve-o periodicamente ao veterinário. E para entender um pouco mais sobre a saúde do seu gato, citamos algumas doenças mais comuns nos gatos e cuidados especiais a serem tomados.

Muitos donos de gatos acreditam que visitas ao veterinário, vacinas e vermifugações são cuidados necessários apenas quando o gato é filhote. Na verdade, eles devem repetir-se ao longo de toda a vida do animal.


DOENÇAS DO TRATO URINÁRIO

É um conjunto de doenças que atingem a parte inferior do aparelho urinário dos gatos (bexiga e uretra). Antigamente era conhecida como Síndrome Urológica Felina (SUF). Os sintomas mais comuns são a presença de sangue na urina, dificuldade para urinar, urinar com muita frequência e às vezes a impossibilidade de urinar, o que pode levar o gato à morte. Além disso pode haver vômitos, depressão e perda de apetite. Cerca de 70% dos casos de Doença do Trato Urinário Inferior dos Felinos (FLUTD) são ainda de origem desconhecida.

Alguns alimentos para gatos são especialmente formulados para ajudar na prevenção da Doença do Trato Urinário Inferior dos Felinos, mantendo o pH da urina adequado e com níveis ideais de magnésio e cálcio. As mais comuns são causadas pela formação de cristais ou cálculos (urolitíase) e de tampões uretrais, onde a uretra é obstruída por um material mucoso. Mais rara é uma infecção do trato urinário causada por infecção bacteriana. Os gatos mais predispostos a este problema são normalmente os machos, com cerca de 5 anos de idade, castrados, sedentários (que vivem em apartamento), obesos e cujos pais já apresentaram o problema. Animais sujeitos a situações de estresse também apresentam maior predisposição.

Gatos precisam ser vacinados para a prevenção de algumas doenças infecciosas, como: Panleucopenia Felina, Rinotraqueíte Felina, Calcivirose Felina, Clamidiose Felina, Leucemia, Peritonite Infecciosa Felina e Raiva. A vacinação garante tanto a saúde do gato quanto a nossa.

Além de doenças infecciosas, os gatos podem ser acometidos por vermes e parasitas externos, principalmente as pulgas.

As doenças infecciosas mais comuns e seus sintomas são:

• Panleucopenia Felina: os principais sintomas são febre, vômito, perda de apetite e diarreia. Podem ocorrer vômitos e ou diarreias com sangue, levando o animal à rápida desidratação. É uma doença viral, altamente contagiosa e fatal principalmente nos filhotes. Os vírus são eliminados pelas fezes, contaminando o ambiente.

• Rinotraqueíte Felina: o animal apresenta espirros, perda de apetite, inflamação nos olhos e febre. A doença evolui rapidamente, apresentando corrimento nasal e ocular, chegando a uma pneumonia. A transmissão se dá pelo contato entre os animais. Os sintomas podem durar até 3 semanas com perda de peso e até morte do animal. É uma doença respiratória altamente contagiosa.

• Calcivirose Felina: é uma séria infecção do aparelho respiratório dos gatos. Os principais sintomas são diminuição do apetite, febre e corrimento nasal, podendo surgir úlceras na língua, nos casos mais graves.

• Clamidiose Felina: é uma zoonose, ou seja, a doença pode afetar seres humanos. É uma infecção respiratória grave e muito contagiosa, podendo ser transmitida de um animal para o outro e também pelo ambiente contaminado. Afeta os olhos e narinas. Os animais infectados piscam em demasia, surgindo conjuntivite e rinite. Há corrimento ocular de aquoso a purulento, com sintomas que podem perdurar por cerca de 30 dias. Gatos infectados podem sofrer recaídas após uma aparente recuperação e sempre que tiverem uma queda na resistência, podem manifestar sinais da doença. A vacina reduz a gravidade da doença e sua incidência, mas não oferece boa proteção.

Todas essas doenças respiratórias podem ser transmitidas às ninhadas pelas fêmeas prenhes, podendo provocar problemas nos filhotes e abortos.

• Leucemia: apresenta-se isolada ou com outras doenças graves, sendo normalmente fatal.

• Peritonite Infecciosa Felina: doença viral que afeta gatos que vivem em grupos. É de difícil diagnóstico no início e não existe tratamento - somente medidas preventivas, que ajudam a reduzir os riscos.

• Imunodeficiência Viral Felina: os gatos são contaminados quando mordidos por animais infectados. O vírus leva a uma deficiência imunológica e, assim como para a imunodeficiência humana, ainda não há vacina disponível. Porém, não é contagioso para o homem.

• Raiva: é a mais grave zoonose, pois é fatal para o animal e para o homem. Os principais responsáveis pela transmissão da raiva na natureza são o cão, o gato, o morcego hematófago e alguns animais silvestres. A via de transmissão do vírus é a saliva.
 

PARASITAS INTERNOS

Os vermes são comuns em filhotes, transmitidos através da placenta da mãe ou durante a amamentação e nem sempre são notados nas fezes dos animais. Estas infestações são de fácil prevenção e tratamento. Para um adequado programa de vacinação e vermifugação, e um eficiente combate e prevenção de parasitas externos, procure a orientação de seu veterinário.
Mantenha sempre a carteira de vacinação atualizada.
Se notar qualquer alteração no comportamento de seu gato, consulte um veterinário o mais rápido possível.
 

CONSELHOS ÚTEIS

• Gatos em apartamentos devem ter arranhadores para cuidar das unhas e também para não destruir os estofados.

• Toda vez que for levar seu gato ao veterinário, coloque-o numa caixa de transporte e o melhor é habituá-lo desde filhote.

• Gatos são muito curiosos e podem tentar pegar insetos ou objetos fora do apartamento. Portanto, é aconselhável o uso de telas protetoras nas janelas e sacadas.

• Raças de pelos longos necessitam de cuidados especiais diários como escovação e até banhos.

• Brinque com seu gato para exercitá-lo e prevenir o estresse e a obesidade.

• Não deixe alfinetes ou pequenos objetos ao alcance do seu gato, ele pode engoli-los e ter problemas.

• Feche a lavadora de roupa e louça, e também os cestos de lixo para que ele não entre e fique preso dentro.

• Gatos têm o hábito de comer plantas para regurgitar os pelos que ingerem ao se lamber. Deve-se ter cuidado com plantas tóxicas como "Comigo ninguém pode" e algumas samambaias.

•Mantenha produtos de limpeza fora do alcance do seu gato.


SINAIS DE SAÚDE

• Pelo: limpo e brilhante

• Pele: limpa e clara

• Olhos: sem secreção, vivos e brilhantes

• Orelhas: limpas e com odor característico

• Nariz: sem corrimento, limpo e úmido

• Dentes e gengivas: limpos com pouco ou nenhum tártaro; gengivas rosadas e hálito bom

Urina: de cor clara

• Fezes: bem constituídas e firmes

• Atividade: normal e brincalhão


SINAIS DE PROBLEMAS

• Pelo: sem brilho, com falhas ou queda excessiva

• Pele: irritada, com coceira e feridas

• Olhos: opacos e com secreções

• Orelhas: secreção e mau cheiro

• Nariz: com secreção e seco

• Dentes e gengivas: excesso de tártaro, gengivas inflamadas, com sangramento frequente e mau hálito

Urina: escura e com forte odor

• Fezes: pastosas ou diarreicas e com presença de sangue.

• Atividade: diminuição na atividade e sonolência.

Caso seu gato manifeste qualquer um dos sinais de problema acima ou mesmo alguma ferida, não hesite em levá-lo imediatamente ao veterinário.


 FONTE - http://www.nestle.com.br/

 

 
VOLTAR
Dog & Company © 2016